Estudo recente publicado em conjunto entre a Agência Ambiental Europeia e o Instituto de Ambiente e Sustentabilidade – JRC (Joint Research Centre) – demonstra claramente a tendência de agregar as questões de sustentabilidade e saúde pública na União Europeia. Disponível no link http://www.eea.europa.eu/publications/environment-and-human-health o trabalho enfatiza as consequências para a saúde pública dos problemas ambientais enfrentados em todo o mundo.

A relação entre os dois temas aparece como pressuposto para as discussões do sétimo plano de ação ambiental, a política pública comum aos países da união europeia e indica vários impactos ambientais que resultam em problemas para a saúde pública.

O foco da política ambiental está mudando das questões pontuais envolvendo os impactos ambientais para uma visão dos desafios sistêmicos envolvendo a manutenção da resiliência ecossistêmica e os serviços ecossistêmicos que sustentam as sociedades humanas.

O relatório enfatiza que ambiente e saúde humana não são somente aspectos apenas, mas sua interrelação e impactos são centrais para mover a Europa em direção a uma Economia Verde.

Em próximos posts detalharei um pouco mais os três capítulos nos quais estão divididos os relatórios e algumas questões importantíssimas levantadas no relatório e que poderiam servir de modelo para futuras discussões entre o Ministério da Saúde e Ministério do Meio Ambiente no Brasil.