O relatório sobre Economia Verde do PNUMA nos mostra diversas oportunidades econômicas ligadas à promoção da sustentabilidade. O assunto estará em voga na Rio+20, em junho, e buscará junto às diversas partes interessadas, governo, empresas e sociedade em geral, organizada e desorganizada, fomentar a economia verde.

Na verdade, o que percebemos é que o BNDES e a Nossa Caixa Fomento, para ficar em apenas duas instituições financeiras, já tem recursos disponíveis para fomentar a economia verde. Sistemas de Gestão Ambiental em indústrias, a Agricultura de Baixo Carbono, o Retrofitting de edifícios para incorporação de tecnologias para redução de consumo de água e energia, a aplicação de fundos em melhoria de unidades de conservação, a recuperação de áreas degradadas, o pagamento de bens e serviços ambientais, todas estas oportunidades estão já disponíveis nas regras de utilização destes fundos.

Se queremos realmente acelerar a caminhada da nossa sociedade em direção à sustentabilidade, é crucial que o sistema financeiro olhe para isso, principalmente este ano, quando acontece a Rio+20. Quem se habilita?