Parte 2 – Investimento em Energia Renovável e Eficiência no Uso de Recursos – Gestão de Resíduos

A gestão de resíduos é um grave problema ambiental hoje, e tende a agravar-se considerando-se que os habitantes deste planeta terão acesso a cada vez mais produtos. Este é um desafio particularmente difícil de enfrentar, tendo em vista que a economia baseia-se no consumo de recursos e na obsolescência programa, com produtos tendo um ciclo de vida cada vez mais curto.
Os principais itens abordados no relatório são os seguintes.
1. O volume e complexidade crescentes de resíduos gerados pelo crescimento econômico representam sérios riscos aos ecossistemas e à saúde humana, com a produção de 11,2 bilhões de toneladas de resíduos por ano. O resíduo orgânico é responsável por 5% dos GEE emitidos anualmente e o desafio do lixo eletrônico e elétrico também representa importante parte da gestão inadequada de metais raros.
2. O mercado para resíduos está crescendo e a escassez de recursos e as novas tecnologias oferecem oportunidades para “tornar verde” o setor de resíduos. Este mercado é estimado em US$ 410 bilhões por ano e há uma necessidade vital de gerar sistemas de gestão de resíduos mais eficientes, com mais empregos de qualidade.
3. Não há solução padronizada para o problema, porém há consensos: A minimização da geração de resíduos e a recuperação de materiais e energia é a primeira opção, a remanufatura e reciclagem em produtos usáveis é a segunda opção. Aqui já se fala em economia circular global, sob a qual enquadra-se a ecologia industrial – tratar a produção e consumo como ciclos, já envolvendo a recuperação de materiais e energia.
4. A criação de um mercado “verde” para o setor de resíduos gera múltiplos benefícios econômicos, resultando em poupança de recursos. Para cada tonelada de papel reciclado, 17 árvores e 50% de água são poupados, para cada tonelada de alumínio, 1,3 toneladas de bauxita são evitados, 15 metros cúbicos de água, 0,86 metros cúbicos de água processada e 37 barris de petróleo, além de 2 toneladas de CO2 e 11 kg de SO2 poupados.
5. A Reciclagem gera muitos postos de trabalho e somente no Brasil, China e Estados Unidos há 12 milhões de pessoas trabalhando na cadeia. A seleção e processamento de materiais recicláveis geram dez vez mais empregos do que a acumulação de lixo ou incineração.
6. As condições de trabalho no setor de gestão de resíduos precisam ser melhoradas, pois muitas das atividades são feitas por trabalhadores com poucas oportunidades de emprego fora do setor.
7. Para fortalecer o setor de gestão de resíduos requer financiamento, incentivos econômicos, medidas regulatórias e arranjos institucionais diferentes.

Sobre Marcio Gama

O cérebro é nossa maior especialização e nos faz humanos e complexos, capazes de pensar, gerir riscos e planejar o futuro. Nos adaptamos a todos os ambientes conhecidos e aprendemos a utilizar os recursos para nossa sobrevivência. Nesta caminhada, aprendemos a nos adaptar. Tentamos resolver os problemas que criamos e esta é a parte da nossa caminhada neste planeta, o único que temos. Sou Biólogo, Mestre em Planejamento e Gestão Ambiental e Especialista em Gerenciamento de Projetos e as análises que faço aqui refletem a minha visão sobre o tema, balizada em artigos científicos e informações de fonte fidedigna e relevantes. Espero que curtam os textos.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.