A revista deste mês focou nos resultados de Durban. Ao que parece o próximo acordo sobre a redução das emissões será negociado até 2017, com a assunção de metas para os países do BRIC, que são aqueles que mais crescem e, consequentemente, mais precisam atuar para reduzir suas emissões.

Outro ponto importante é o plano de redução de emissões da Austrália, o maior emissor per capita de gases de efeito estufa. Cobre diversas áreas e foca principalmente nas energias renováveis.

Os títulos das emissões de gases na Europa estão encalhando, reduzindo o preço dos títulos em virtude da redução abrupta da atividade econômica.

Dos nove estados que haviam feito um plano para redução de emissões nos EUA (5) e Canadá (4), 4 dos EUA desistiram, ficando apenas a California envolvida na ação.

É bom que os países comecem a perceber que o destino de um é partilhado por todos.