Análise do documento “Climate change: implications for investors and financial institutions”

Um relatório interessante publicado pela UNEP, juntamente com a Universidade de Cambridge e o IIGCC (Institutional Investors Group on Climate Change) analisa as interações entre o Sistema Financeiro e os investimentos necessários para reduzir os impactos das mudanças climáticas.
Neste documento foram evidenciados cinco pontos-chave, relacionados abaixo:
1. As mudanças climáticas afetarão todos os setores da economia e são relevantes para investidores e instituições financeiras
2. Há riscos e oportunidades associados com as ações tomadas para reduzir as emissões globais, incluindo, segundo o documento, a redução significativa dos investimentos em extração de combustíveis fósseis e geração de energia com base nestes compostos, com aumento significativo de investimentos em produção de energia de baixo carbono e eficiência energética.
3. Os impactos físicos das mudanças climáticas afetarão a agricultura, a produção e de alimentos, infra-estrutura, padrões de precipitação e suprimento de água, sendo que as implicações ainda não estão completamente mapeadas.
4. As decisões adotadas por investidores privados e instituições financeiras terão maiores influências em como a sociedade responde às mudanças climáticas.
5. Haverá demanda significativa por capital, com necessidade de aporte do setor privado para supri-la. Estima-se que somente no setor de produção de energia seriam necessários entre USD 190 e USD 900 bilhões por ano até 2050, com a saída progressiva das energias fósseis para as de baixo carbono, especialmente a nuclear e demais renováveis.
Ainda que não sejam novidades, há novamente o reforço por parte de organismos globais e do grupo IIGCC sobre a necessidade de financiar e investir em energias com menor emissão e na eficiência energética. Lembramos que os “greenbanks” e os títulos de crédito verdes, muitas vezes citados no blog, visam justamente incrementar a quantidade de recursos disponível para investimento em eficiência energética e fontes renováveis de energia.
Os impactos físicos das mudanças climáticas estão sendo sentidos com maior frequência e intensidade, com maiores perdas econômicas também, e os riscos de diminuição brusca de atividade econômica não podem ser negligenciados.

Publicado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.