Ecologia Industrial e Metabolismo da Sociedade

Ecologia Industrial refere-se à área de conhecimento científico que analisa os fluxos de matéria e energia de sistemas produtivos de acordo com procedimentos definidos com vistas a identificar as consequências ecológicas das escolhas econômicas das sociedades e seus padrões de consumo. As análises obtidas pela Ecologia Industrial permitem a comparação entre diferentes metodologias produtivas e auxiliam a tomada de decisões de políticas privadas e públicas.

O Metabolismo da Sociedade é um conceito baseado nas Ciências Biológicas e refere-se aos processos metabólicos divididos em anabolismo e catabolismo, ou seja, a produção e o consumo de materiais do ambiente para a manutenção da espécie. Quando aplicado às sociedades, tais processos são a obtenção de recursos do ambiente para manutenção da economia em seus processos de extração, beneficiamento, consumo e descarte.

A grande novidade é que o descarte não é o fim da linha. O material descartado é considerado matéria prima. Na Europa, por exemplo, um caso pode ser reciclado em até 95% da sua estrutura, com grande economia de energia no processamento de seus componentes.

No Japão, desde os anos 1990, o órgão ambiental federal tem por objetivo construir uma “recycling-based society”, onde, devido às pressões adaptativas causadas pela alta densidade demográfica e insuficiência de território empurram o país para políticas mais avançadas de gestão de resíduos.

Um outro exemplo interessante são os “complexos ecoindustriais”. A idéia é analisar uma região industrial sob a ótica das suas necessidades de insumos, dos descartes realizados e gerar desenvolvimento regional por meio da agregação de empresas cujas atividades específicas são o reaproveitamento  dos resíduos gerados pelas empresas que costumam induzir o desenvolvimento local.

Isso está acontecendo na China, com as chamadas “simbioses industriais”. Recuperando o conceito de simbiose das ciências biológicas, tais estruturas são associações de seres vivos que beneficiam-se de uma relação positiva para os componentes, na qual ambos aumentam suas chances de ocupar de forma eficiente um ambiente. Ao transpor o conceito para processos econômicos, pretende-se que as cadeias produtivas, com base no conceito de ciclagem de nutrientes da ecologia, podem transformar o que seria um impacto ambiental adverso em insumo para novos processos. É idéia para o futuro, que chegará ao Brasil também.

Sobre Marcio Gama

O cérebro é nossa maior especialização e nos faz humanos e complexos, capazes de pensar, gerir riscos e planejar o futuro. Nos adaptamos a todos os ambientes conhecidos e aprendemos a utilizar os recursos para nossa sobrevivência. Nesta caminhada, aprendemos a nos adaptar. Tentamos resolver os problemas que criamos e esta é a parte da nossa caminhada neste planeta, o único que temos. Sou Biólogo, Mestre em Planejamento e Gestão Ambiental e Especialista em Gerenciamento de Projetos e as análises que faço aqui refletem a minha visão sobre o tema, balizada em artigos científicos e informações de fonte fidedigna e relevantes. Espero que curtam os textos.
Esse post foi publicado em conceitos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.