Conclusões da primeira parte do relatório “Towards a Green Economy”

A primeira e mais importante tarefa para o futuro é entender e contabilizar os bens e serviços que a estabilidade dos ecossistemas presta para a manutenção dos processos econômicos. É importante enfatizar, e muitas vezes isso não é claro para a população em geral, que o sistema econômico é um subsistema do ecológico. O planeta tem, lógico, uma capacidade limitada como fonte de recursos e, principalmente, como sumidouro de emissões.

A medida em que estamos em fase de plena expansão do consumo de recursos, temos que investir na melhoria da eficiência por meio da inovação em processos produtivos, a remuneração dos bens e serviços ambientais, especialmente daqueles que hoje não tem valor de mercado e cujo valor de existência não está claro nas planilhas contábeis.

A Economia Verde entrará em pauta nas discussões da Rio+20 e certamente serão extraídos acordos deste encontro com vistas a fomentar a implantação de processos produtivos mais limpos.

Nesta primeira parte do relatório, foram enfatizados os assuntos Agricultura, Pesca, Água e Florestas. Cada um dos desafios propostos para tais áreas são imensos e envolvem pesquisa e desenvolvimento, inovação, melhoria dos processos de gestão ambiental pública e privada.

Ao olhar para o Brasil, pergunto: Estamos preparados para melhorar nosso desempenho e indicadores ambientais? O que será necessário? A pauta ambiental, especificamente a relacionada aos quatro temas, tem força para competir por recursos en outras áreas prioritárias ou com o business-as-usual?

Sobre Marcio Gama

O cérebro é nossa maior especialização e nos faz humanos e complexos, capazes de pensar, gerir riscos e planejar o futuro. Nos adaptamos a todos os ambientes conhecidos e aprendemos a utilizar os recursos para nossa sobrevivência. Nesta caminhada, aprendemos a nos adaptar. Tentamos resolver os problemas que criamos e esta é a parte da nossa caminhada neste planeta, o único que temos. Sou Biólogo, Mestre em Planejamento e Gestão Ambiental e Especialista em Gerenciamento de Projetos e as análises que faço aqui refletem a minha visão sobre o tema, balizada em artigos científicos e informações de fonte fidedigna e relevantes. Espero que curtam os textos.
Esse post foi publicado em Comentário pessoal. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Conclusões da primeira parte do relatório “Towards a Green Economy”

  1. Pingback: Green Bonds emitidos por banco holandês | Gestão da Sustentabilidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.