Material da Agência Ambiental Europeia – Indicadores Ambientais e a Gestão do Ambiente na UE

É lugar comum na administração de recursos de que só pode ser gerido o que é mensurado. Sem indicadores a gestão torna-se precária e sem qualidade, pois não temos como analisar se o planejamento está adequado à realidade ou se as ações tomadas pelas instituições estão sendo ou não efetivas para cumprir seus objetivos.

A Agência Ambiental Europeia lançou mais um relatório bastante interessante sobre indicadores ambientais acompanhados pela agência. Os indicadores permitem à agência analisar tendências ambientais, monitorar progressos de objetivos e metas, avaliar a efetividade das políticas e comunicar de forma adequada aos públicos de interesse aos quais responde.

o relatório está disponível no link e é fundamental para quem trabalha com gestão ambiental entender o conceito de indicadores ambientais trabalhados pela UE, visto tratar-se de uma instituição que é referência para o mundo todo.

Para que seja considerado um indicador ambiental, a OECD sugere doze critérios de análise:

1. Deve demonstrar as pressões sobre o ambiente e a resposta da sociedade

2. Deve ser de simples interpretação e mostrar tendências

3. Deve responder às mudanças ambientais e atividades humanas

4. Deve ser comparável com outros indicadores

5. Deve ser aplicável às condições ambientais nacionais ou regionais importantes

6. Deve apresentar um limite ou valor de referência contra o qual possa ser comparado

7. Deve ser referendado em termos científicos e técnicos

8. Deve ser baseado em padrões internacionais ou consensos para consolidar sua validade

9. Deve estar disponível para ser analisado em conjunto com modelos econômicos, previsões e sistemas de informação

10. Deve disponibilizar informações a um custo/benefício razoável

11 . Deve ser adequadamente documentado

12. Deve ser atualizado em intervalos regulares e em acordo com procedimentos confiáveis

Estes critérios para definir-se um indicador consistente para a gestão não são novidades. Podem ser aplicados a qualquer programa social ou ambiental para monitoramento do ambiente e preparação de respostas. Não podemos esquecer que todo sistema ou toda ação gera um impacto, este impacto gera uma pressão e esta pressão gera uma resposta.

A UE possui 137 indicadores ambientais divididos em 13 temas diferentes. Poluição do ar (11), Biodiversidade (27), Mudanças climáticas (46), Energia (11), Cenários ambientais (2), Pesca (3), Economia verde (1), Consumo (1), Uso da terra (1), Solo (1), Transporte (20), Resíduos (2), Água (11). Cada uma destes temas e indicadores com suas ferramentas e métodos de análise.

A leitura do material completo é muito interessante. Demonstra um sistema bem estruturado de gestão ambiental, com sistemas de monitoramento, captura de dados, indicadores, análises e conhecimento que resultam em ações efetivas para melhorias das condições ambientais. O sistema de acompanhamento dos indicadores evolui, incorporando temas importantes à medida em que aparecem evidências científicas de sua importância, e promovem metas cada vez mais ambiciosas para a implementação das políticas da UE.

Uma aula de gestão de indicadores em gestão ambiental pública e da sua interrelação com as políticas europeias de produção e consumo. Um ótimo benchmark para agências ambientais em todo o mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: