Vídeo da União Europeia sobre compostos químicos em produtos

Jeffrey Barber escreveu há alguns anos um importante artigo propondo um agrupamento das diversas ações que remetem à sustentabilidade (aqui). Uma das ações importantes apontadas pelo autor é o direito de saber (tradução livre de right-to-know), onde os consumidores, munidos de informações qualificadas sobre os produtos (não somente as que a propaganda dos produtos dizem), decidiriam pelo consumo com base na comparação entre suas características. Pois bem. A União Europeia disponíbilizou um vídeo sobre a importância de se conhecer bem o produto que se adquire, mostrando de forma divertida os produtos químicos que estão presentes em nossas compras mais banais.

https://www.youtube.com/watch?v=WSWIAEDJfSg&feature=youtu.be

Acho muito interessante a ideia de right-to-know, desde que a fonte das informações não seja somente a empresa que produz tem interessese diretos em vender mais e mais e desde que a agência reguladora não tenha interesses políticos e funcione efetivamente e tecnicamente como agência reguladora. Para isso, depende-se também de um sistema educacional que sensibilize os alunos e consumidores para o tema. Creio, porém, que a ideia de uma decisão racional na hora da compra não é algo que esteja equacionado em país algum do mundo. Alguns economistas costumam achar que existe, porém se soubéssemos todas as informações sobre todos os produtos não conseguiríamos tomar uma decisão.

Outra ação apontada por Jeffrey Barber que pode ajudar na decisão é a adoção da abordagem de ciclo de vida de produto, que promove uma comparação entre os impactos ambientais gerados no processo produtivo e em tese permite ao consumidor a opção pelo produto com menor impacto total. Muito interessante, porém diversas empresas combatem esta iniciativa, visto que o cálculo do impacto total evidenciaria o que algumas delas precisam esconder.

Sobre Marcio Gama

O cérebro é nossa maior especialização e nos faz humanos e complexos, capazes de pensar, gerir riscos e planejar o futuro. Nos adaptamos a todos os ambientes conhecidos e aprendemos a utilizar os recursos para nossa sobrevivência. Nesta caminhada, aprendemos a nos adaptar. Tentamos resolver os problemas que criamos e esta é a parte da nossa caminhada neste planeta, o único que temos. Sou Biólogo, Mestre em Planejamento e Gestão Ambiental e Especialista em Gerenciamento de Projetos e as análises que faço aqui refletem a minha visão sobre o tema, balizada em artigos científicos e informações de fonte fidedigna e relevantes. Espero que curtam os textos.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.