Ferramenta SEDA – Sustainable Economic Development Assessment, do BCG

O Boston Consulting Group (BCG) desenvolveu uma ferramenta denominada SEDA – Sustainable Economic Development Assessment –  que se propõe a analisar de forma integrada diversos indicadores de desempenho para avaliar como os países convertem a produção de riquezas em bem-estar para sua população.

O relatório completo , denominado “Why Well-Being should drive Growth Strategies”, detalha três dimensões e 10 agrupamentos de 43 indicadores, utilizados para avaliar a situação de um país e como ele se posiciona em relação à geração de bem-estar para sua população. No documento são apresentadas diversas análises sobre os indicadores, os resultados para os países do mundo todo e a comparação com os resultados dos demais, com a sugestão de estratégias e planos de ação para decisores públicos, privados e representantes da sociedade civil.

exhibit

As três dimensões abordadas são a econômica, a de investimentos e a de sustentabilidade.

Na dimensão econômica são avaliados a estrutura de geração de renda e riqueza, a estabilidade econômica medida em termos de inflação e a volatilidade na produção de crescimento econômico, e o emprego.

A dimensão dos investimentos relaciona-se com o acesso à saúde, medidos pela qualidade dos serviços de saúde, a mortalidade e a morbidade, a educação, medidos pelo acesso e pela qualidade dos serviços ofertados à população, e a infraestrutura, com indicadores de disponibilidade de água, mobilidade urbana, saneamento básico e acesso à infraestrutura de informação e comunicação.

A dimensão da sustentabilidade refere-se ao ambiente, medidos por indicadores de qualidade ambiental e as políticas que visam protegê-la, à governança, medidos pela efetividade do Estado em colocar as políticas em prática, reforçar a transparência, promover a estabilidade e a liberdade, a força da sociedade civil, medidas pela coesão, pelo ativismo civil e pela equidade de gênero, e a igualdade, medida em termos da estrutura da distribuição de renda e desigualdade social.

Ao transpor o trabalho para a gestão de políticas, programas, planos e projetos, vê-se que a elaboração de indicadores de desempenho é um processo importante para que haja gerenciamento. Com base na análise das condições do ambiente pode-se traçar as políticas e planos de longo prazo para a consecução de metas, com a definição de indicadores de desempenho adequados à realidade nacional. A comparação com outros países permite identificar práticas que podem ser implementadas em problemas semelhantes e, mais importante, apontam uma direção na qual se pode caminhar.

Sobre Marcio Gama

O cérebro é nossa maior especialização e nos faz humanos e complexos, capazes de pensar, gerir riscos e planejar o futuro. Nos adaptamos a todos os ambientes conhecidos e aprendemos a utilizar os recursos para nossa sobrevivência. Nesta caminhada, aprendemos a nos adaptar. Tentamos resolver os problemas que criamos e esta é a parte da nossa caminhada neste planeta, o único que temos. Sou Biólogo, Mestre em Planejamento e Gestão Ambiental e Especialista em Gerenciamento de Projetos e as análises que faço aqui refletem a minha visão sobre o tema, balizada em artigos científicos e informações de fonte fidedigna e relevantes. Espero que curtam os textos.
Esse post foi publicado em conceitos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.