Os editores do site greenbiz.com publicam anualmente um relatório extremamente interessante sobre as tendências em sustentabilidade. Os autores apresentam 10 tendências obtidas do monitoramento sistemático de informações sobre o tema e quais impactos elas terão sobre as atividades econômicas.

As dez tendências citadas no trabalho são as seguintes:

  1. A consolidação do conceito de Economia Circular gerando novas tecnologias, processos e produtos
  2. A gestão tecnológica das cadeias de suprimento gerando cada vez mais eficiência no uso de recursos
  3. Infraestrutura Verde atraindo investimentos
  4. Indústria de mineração tornando-se mais limpa
  5. Agricultura promovendo a regeneração de sistemas naturais
  6. Reciclagem de carbono promovendo a redução de emissões de GEE
  7. Geração de empregos relacionados à sustentabilidade atraindo mais profissionais
  8. Microgeração apresentando um crescimento expressivo
  9. Economia do compartilhamento alcançando as empresas
  10. A chamada Economia Azul, relacionada à proteção e uso sustentável dos Oceanos, tornando-se cada vez mais importante para um planeta resiliente.

A análise das 10 tendências mostra uma tendência evolutiva resultante da pressão adaptativa exercida pela sociedade em suas mais diversas instâncias. E pressões adaptativas exigem respostas dos componentes dos ecossistemas, visando aproveitar-se dos “nutrientes” disponíveis.

Negociações internacionais, como a COP-21, pressionam os Estados Nacionais a assumirem responsabilidades, adotando medidas para reduzir suas emissões a partir de inventários nacionais de emissões.

Do mesmo modo, investidores institucionais globais e grandes investidores retiram investimentos de empresas cujos “core business” em energias não-renováveis podem comprometer a existência da sociedade como um todo e esta sociedade pressiona por soluções para maior qualidade ambiental e maior resiliência dos sistemas de suporte à vida.

Há um grande movimento se consolidando e o Brasil pode ser parte importante da solução.