EF – Outono de 2013 – Água

Estima-se que dois terços da população global viverão em locais com estresse de água, onde a qualidade e quantidade disponível tornar-se-ão problemas para estas sociedades. A Sarasin’s Sustainable Water Fund acredita que em médio e longo termo as perspectivas de crescimento privado do mercado da gestão de recursos hídricos terá um retorno de investimento interessante, visto que há uma demanda reprimida por projetos de captação, tratamento e distribuição de água em diversas partes do mundo que apresentam um crescimento da população e da economia.
Outro tema é a tecnologia. O desenvolvimento de sementes resistentes ao estresse hídrico por empresas de biotecnologia, o aumento da produtividade relacionado ao aproveitamento da água para geração de biomassa, os sistemas mais eficientes de uso de água em cidades também são áreas onde já existem empresas investindo e com alto potencial de crescimento.
Mercados com alta demanda por atualização de sistemas de fornecimento de água que apresentam pouco investimento histórico também são candidatos a receber mais investimentos. Os EUA, especificamente, tem um sistema de coleta, tratamento e distribuição que necessitará de atualização. Neste caso, talvez seja um competidor por recursos com os demais países do mundo, especialmente aqueles com alta população e crescimento econômico, que usualmente resulta em maior demanda por soluções em gestão de recursos hídricos.
No Brasil já temos a lei 9433/97, a Política Nacional de Recursos Hídricos, que representa uma grande modernização à gestão no país. Exige a formação de Comitês de Bacia tripartite, com participação do poder público, setor produtivo e sociedade, atribui valor econômico à água e exige a cobrança pelo seu uso, e exige um plano de uso da bacia hidrográfica, de forma a planejar as intervenções e gerar recursos para investimento em infraestrutura de melhoria da qualidade e quantidade de água disponível para a população da bacia hidrográfica.
Em virtude da complexidade de aplicação da lei, é necessária ainda a evolução dos mecanismos de formação e gestão de recursos, porém a realização de obras necessárias para prover a sociedade adequadamente deste recurso vai fomentar um grande mercado privado brasileiro para empresas especializadas no tema.

Sobre Marcio Gama

O cérebro é nossa maior especialização e nos faz humanos e complexos, capazes de pensar, gerir riscos e planejar o futuro. Nos adaptamos a todos os ambientes conhecidos e aprendemos a utilizar os recursos para nossa sobrevivência. Nesta caminhada, aprendemos a nos adaptar. Tentamos resolver os problemas que criamos e esta é a parte da nossa caminhada neste planeta, o único que temos. Sou Biólogo, Mestre em Planejamento e Gestão Ambiental e Especialista em Gerenciamento de Projetos e as análises que faço aqui refletem a minha visão sobre o tema, balizada em artigos científicos e informações de fonte fidedigna e relevantes. Espero que curtam os textos.
Esse post foi publicado em Comentário pessoal, Environmental Finance, gestão ambiental pública, gestão ambiental privada. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.